Deputados europeus são expulsos da Venezuela

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Share on email

Quatro deputados que integram a delegação do Parlamento Europeu foram impedidos de entrar na Venezuela e tiveram os passaportes retidos, de acordo com um dos parlamentares. O grupo de eurodeputados foi convidado pela Assembleia Nacional Constituinte, formada por maioria de oposição e não reconhecida pelo governo do presidente Nicolás Maduro.

Na sua conta pessoal no Twitter, o ministro das Relações Exteriores da Venezuela, Jorge Arreaza, informou que os parlamentares europeus foram notificados que não poderiam ingressar no país.

O impedimento ao ingresso dos parlamentares ocorreu ontem (17). A Venezuela vive intensa crise humanitária, política e econômica, após o deputado federal Juan Guaidó se autoproclamar presidente interino, no último dia 23, e ser reconhecido por vários governos, inclusive o do Brasil.

A expulsão dos eurodeputados foi denunciada por Guaidó em um vídeo postado na sua conta no Twitter. A delegação estava composta pelos eurodeputados Esteban González Pons, José Ignácio Salafranca Sánchéz-Neyra e Juan Salafranca, além de Paulo Rangel.

No vídeo, o deputado espanhol Esteban González Pon, reclama que eles foram expulsos e que não foi comunicado sobre “o porquê” do impedimento. Ele lembrou que é a primeira delegação internacional que iria visitar Guaidó. “Quando, em um país, um ditador fecha as janelas e apaga as luzes é que vai passar das palavras para os fatos”, disse o parlamentar.

No fim de semana, o senador republicano dos Estados Unidos Marco Rubio reclamou das dificuldades para o ingresso de ajuda humanitária internacional na Venezuela.

Denuncias e Informações? Chat via WhatsApp