Deputados e revendedores protocolam ação pra revogar portaria do Detran

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Share on email

O presidente do Diretório Metropolitano do PMDB, deputado estadual Bruno Peixoto, o deputado estadual Major Araújo (PRP), e os revendedores de veículos de Goiás, protocolaram na manhã de quarta-feira, 9, no Fórum de Goiânia, uma ação civil pública para revogar a portaria n.º 606/2015-GP, publicada pelo Departamento Estadual de Trânsito de Goiás (Detran-GO), que associa a regularização de veículos ao pagamento de multas e demais débitos vinculados ao Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) do Ministério da Fazenda dos proprietários.

O revendedor de veículos Márcio Luiz Belchior afirma que a classe foi prejudicada com a medida e que é uma injustiça cobrar contas do passado agora, porque ninguém tem condições financeiras para pagar. “Por causa dessa determinação não consigo mais vender nenhum carro e não tenho como pagar nada. Todos estão com dificuldades em fechar negócios e esperamos que com essa ação civil pública esta portaria seja revogada”, avaliou.

De acordo com Bruno Peixoto, a medida extrapola os preceitos do Código Brasileiro de Trânsito, que prevê a regularização dos veículos diante da quitação de débitos vinculados aos automóveis, e não ao proprietário, como a portaria estabelece. “A medida adotada pelo Detran viola os princípios da legalidade e da hierarquia. Espero que o órgão reconheça a inconstitucionalidade dessa portaria. Estamos entrando com a ação civil pública para garantir o direito de igualdade do povo goiano”, afirma ele, que acredita que dentro de alguns dias o judiciário já terá uma.

Depois de protocolizar a ação juntamente com os deputados, revendedores de veículos foram protestar em frente ao Palácio Pedro Ludovico Teixeira, sede do governo estadual.

GoiasReal

Notícia postada em  

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e nosso Termos de Uso, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.