Copa América 2019 terá reconhecimento facial nos estádios

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Share on email

Campeonato será realizado no Brasil de 14 de junho a 7 de julho

A Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) anunciou hoje (25) que vai utilizar o sistema de reconhecimento facial para identificação de torcedores nos seis estádios onde serão disputadas as partidas da Copa América Brasil 2019. A novidade foi anunciada hoje (25) na abertura do Seminário Geral de Proteção e Segurança, no teatro do Sesc/Senac, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio, organizado pelo Comitê Organizador Local.

De acordo com o gerente de Segurança do Comitê Organizador Local da Conmebol, Hilário Medeiros, esse será o primeiro evento no Brasil a trabalhar com o reconhecimento facial. “Vamos deixar um banco de dados que será abastecido com informações de todo o mundo. Trabalhamos em parceria com os órgãos de segurança pública e a Interpol [organização internacional que ajuda na cooperação de polícias de diferentes países] para impedir que um indivíduo indesejado, que já tenha ou possa vir a causar distúrbios, entre nos estádios e perturbe o torcedor”, explicou.

Medeiros disse que, além da utilização do sistema de reconhecimento facial para coibir a presença de vândalos ou pessoas foragidas da Justiça nos estádios, um efetivo de 10 mil agentes de segurança privada será contratado pelo Comitê Organizador Local para o policiamento dentro dos estádios.

O planejamento de segurança da Copa América Brasil 2019 foi desenhado em parceria com a Secretaria de Operações Integradas (Seopi), responsável pela articulação entre o os organizadores e os órgãos de segurança pública e agências reguladoras: Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros, Defesa Civil, Guarda Municipal, Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

Segundo o coordenador geral de Operações Integradas do Ministério da Justiça e Segurança Pública, coronel Antônio Edgard Santos de Jesus, o trabalho foi feito em parceria com o Comitê Organizador Local. “Outro trabalho é o de identificar alguns fatores que podem representar risco para a operação, fazemos o monitoramento deles e já montamos uma ação de resposta”, avaliou.

No discurso de abertura do seminário, o diretor de Operações do Comitê Organizador Local, Agberto Guimarães, destacou a excelência do país na promoção de grandes eventos. “Fazer um evento desta natureza, como é a Conmebol Copa América, após 30 anos, faz bem para o país porque voltamos a ser janela para o mundo. O Brasil organizou uma série de eventos recentemente, como a Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos e Paralímpicos, e nada, do ponto de vista da segurança, manchou qualquer um desses eventos”.

ABr

Denuncias e Informações? Chat via WhatsApp