Aparecida de Goiânia, terça-feira, 28 de setembro de 2021

Conter disseminação da covid-19 é mais desafiador entre adolescentes e jovens

Redação
27 de março de 2021

Segundo Benito Lourenço, o adolescente está, de certa forma, protegido da letalidade e é uma peça determinante na cadeia de transmissão, daí a importância da manutenção dos protocolos para evitar a contaminação

Cresce cada vez mais o número de jovens em estado grave decorrente da contaminação pelo coronavírus, diante das novas variantes. São novos os desafios para conter a disseminação do vírus. Em entrevista ao Jornal da USP no Ar Primeira Edição, o médico Benito Lourenço, chefe da Unidade de Adolescentes do Instituto da Criança e do Adolescente do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, discute o tópico.

20210325 benito lourenco
Médico Benito Lourenço – Foto: Sociedade de Pediatria de São Paulo

“O que chama mais atenção é a questão da transmissão. O adolescente é responsável tanto quanto o adulto e aí devemos direcionar toda nossa atenção ao isolamento dos adolescentes e jovens. Essa é uma faixa etária que, naturalmente, não é de se isolar, não é de se guardar tanto em casa. Estamos falando de um momento da vida em que você quer ir para o mundo, sair, afastar-se dos pais, encontrar novos sentimentos, além de ser o momento de desenvolvimento da sexualidade”, destaca.

Deve haver, então, um trabalho de insistência maior quanto à prevenção da contaminação.  Benito Lourenço menciona também a importância da fidelidade à verdade e da negociação. “Essa convivência mais forçada exige que as famílias tenham uma percepção de negociação e de compreensão. É necessário considerar uma flexibilização em alguns aspectos, nunca perdendo o foco do sofrimento mental que temos visto nessa faixa etária nesse momento.”

Ao mesmo tempo em que o adolescente está, de certa forma, protegido da letalidade, ele é uma peça determinante na cadeia de transmissão, informa o médico, e encerra insistindo na manutenção dos protocolos para evitar a contaminação. Para ele, o medo não é a melhor ferramenta para incentivar o isolamento e a prevenção, nessa faixa etária.


Jornal da USP no Ar 
Jornal da USP no Ar é uma parceria da Rádio USP com a Escola Politécnica, a Faculdade de Medicina e o Instituto de Estudos Avançados. No ar, pela Rede USP de Rádio, de segunda a sexta-feira: 1ª edição das 7h30 às 9h, com apresentação de Roxane Ré, e demais edições às 10h45, 14h, 15h e às 16h45. Em Ribeirão Preto, a edição regional vai ao ar das 12 às 12h30, com apresentação de Mel Vieira e Ferraz Junior. Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo do Jornal da USP no celular. 

DENÚNCIA DE IRREGULARIDADES?

envie um email para

[email protected]

2005 - 2021
magnifiercross linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram