Aparecida de Goiânia, sexta-feira, 17 de setembro de 2021
Pandemia

Comitê da Covid de Aparecida projeta campanha para que comerciantes e clientes continuem com cuidados

Redação
1 de julho de 2021

Com medidas restritivas para contenção da transmissão da Covid-19 há 123 dias, Aparecida de Goiânia está neste momento no cenário verde do Isolamento Social Intermitente por Escalonamento Regional.

Todo este período com ações que restringem o funcionamento das atividades econômicas, sejam comerciais ou de eventos como festas, tem deixado os números gerais da doença no município como número de casos e de ocupação dos leitos de UTI públicos para tratamento dos pacientes, em estabilidade.

E para que os números continuem estáveis e voltem a cair, não necessitando de uma possível mudança de cenário e fechamento das macrozonas e mais restrições sejam editadas, as entidades que representam os empresários e comerciantes de Aparecida lançarão nos próximos dias uma campanha para que esses comerciantes e empresários continuem tomando os cuidados necessários para evitar a contaminação do Coronavírus em sua empresa ou estabelecimento, cobrando também os cuidados dos clientes e funcionários.

Em reunião realizada na tarde desta quarta-feira, 30 de junho, com os representantes das entidades que compõem o Comitê de Prevenção e Enfrentamento a Covid-19 de Aparecida, ficou acordado de elaborar a proposta da campanha de conscientização para que empresários, colaboradores e clientes sigam as regras e portarias estipuladas pelo próprio Comitê para contenção da transmissão do vírus na cidade. A reunião foi realizada na secretaria de Comunicação.

“O objetivo é evitar que os números relacionados a doença na cidade voltem a crescer. Hoje estamos estáveis, mas precisamos continuar cuidando, aliás, precisamos reforçar esses cuidados para que não tenhamos que ampliar essas restrições. A vacinação está andando, já imunizamos 35% da nossa população adulta com a 1ª dose, mas ainda temos um caminho longo a seguir até que os aparecidenses estejam todos imunizados e possamos voltar à normalidade”, comentou o secretário de Comunicação, Ozéias Laurentino Júnior.

O vice-presidente da Federação das Associações de Micro empresas e Empresas de Pequeno Porte de Goiás (Femicro-Go), Lívio de Queiroz, o empresário tem participação importante na contenção da transmissão da covid-19, pois são os maiores beneficiados com a redução dos números. “Se cada um fizer a sua parte, cuidar do seu estabelecimento, cobrando e cumprindo as regras sanitárias estipuladas pelo Comitê. Pois se todos cumprirem os números vão cair e com a vacinação chegando para todos, logo poderemos até mesmo sair do cenário verde, tirando as restrições atuais. Por isso vamos fazer essa campanha chegar a todos”, pontuou.

Também participaram da reunião inicial para criação da campanha de conscientização do cumprimento das regras sanitárias para conter a covid-19, o presidente da Associação Comercial e Empresarial da Região Leste de Aparecida, Maione Padeiro; o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas, regional Aparecida, Valdir Aciole e o diretor regional da Associação Comercial e Industrial de Aparecida (Aciag), Bruno Rafael da Rocha. “Apresentaremos as peças da campanha para os demais membros do Comitê na próxima semana e a expectativa é de já iniciá-la na segunda quinzena de julho”, concluiu o secretário de Comunicação.

“O isolamento social intermitente por escalonamento regional em conjunto com a estratégia da Prefeitura de Aparecida em ampliar os leitos para tratamento da doença e realizar testagem em massa, monitoramento dos casos ativos faz a cidade ter uma das menores taxas de letalidades do país”, enfatizou o prefeito Gustavo Mendanha que ressaltou ainda que a cidade não sairá do isolamento social por escalonamento regional até quando for necessário para barrar a transmissão vírus e não haver colapso do sistema de saúde como é percebido em outras cidades.

AVENIDA SAO PAULO ENIO MEDEIROS

Histórico – Em 1° de março, quando Aparecida fez o isolamento social horizontal em conjunto com as demais cidades da Região Metropolitana, o boletim epidemiológico registrava taxa de ocupação dos leitos de UTIs exclusivos para Covid-19 em 86% na rede pública e 100% na rede privada. Porém, como o cenário não melhorou o Comitê Municipal optou pela volta do escalonamento regional em vez de seguir o decreto estadual que propôs o isolamento social intermitente 14 dias abertos e 14 dias fechados.

“O isolamento social intermitente por escalonamento regional segue uma Matriz de Risco, que leva em consideração oito indicadores, e considera quatro cenários de risco. Atualmente, estamos no cenário verde, estável, e avaliamos o cenário epidemiológico todos os dias. Além disso, semanalmente o Comitê reúne para deliberar medidas sanitárias e avaliar o quadro pandêmico no município”, explica o secretário municipal de Saúde, Alessandro Magalhães.

Em 15 de março, quando a cidade iniciou o isolamento social intermitente por escalonamento regional, o boletim epidemiológico da Secretaria Municipal de Saúde informava que 94% das UTIs públicas para Covid estavam ocupadas. No dia 10 de junho, o boletim informa que a taxa de ocupação era de 58% dos leitos públicos. Nesta quinta, 1º de julho, a taxa era de 63%. Dados da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) informam que o índice R, que indica a capacidade de transmissão de um patógeno, está abaixo de 1. Ou, seja, o quadro continua estável. Ainda segundo dados do boletim epidemiológico da Secretaria de Saúde de Aparecida, nas últimas 24 horas foram registrados três óbitos pela doença no município. Em 15 de março, quando começou o escalonamento regional foram registrados nove.

Apesar dos indicadores apresentarem números com média móvel abaixo de outras cidades, o secretário alerta que a guarda deve permanecer levantada e a população precisa redobrar os cuidados. “Precisamos continuar nos cuidando, usando máscara, lavando as mãos constantemente e evitando aglomerações de pessoas, principalmente festas clandestinas”, comunicou Alessandro.

Aparecida de Goiânia segue no cenário verde e próximo ao cenário amarelo (risco moderado). Neste cenário, conforme escalonamento, duas macrozonas da cidade ficam fechadas um dia da semana de segunda a sexta-feira. O escalonamento regional tem 98% de adesão da população, considerando o diálogo que a prefeitura tem estabelecido com o setor econômico do município desde o início da pandemia em abril de 2020.

Macrozonas – No cenário verde, seguindo o escalonamento regional das atividades econômicas, os comércios não essenciais fecham uma vez por semana, conforme a macrozona em que se encontram. A cada dia, de segunda a sexta-feira, fecham duas das dez macrozonas da cidade.  As 10 macrorregiões foram divididas em Jardim Alto Paraíso, Vila Brasília, Buriti Sereno, Expansul, Papillon Park, Santa Luzia, Zona da Mata, Centro, Cidade Livre e Garavelo. Nas segundas-feiras são fechados os comércios nas macrorregiões da Vila Brasília e Jardim Alto Paraíso; nas terças-feiras não funcionam os estabelecimentos da região do Garavelo e Zona da Mata; nas quartas ficam fechadas as macrozonas do Centro e do Expansul; nas quintas-feiras não funcionam as macrozonas do Papillon Park e Santa Luzia. Já nas sextas-feiras, fecham as macrozonas do Buriti Sereno e Cidade Livre. Todas podem abrir aos sábados e domingos.

DENÚNCIA DE IRREGULARIDADES?

envie um email para

[email protected]

2005 - 2021
magnifiercross linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram