Com Lev, Saraiva entra no crescente mercado de livros digitais

0
145

E-reader da tradicional varejista tem preço competitivo e recursos similares aos rivais Kobo Glo e Kindle Paperwhite

levQuando a Amazon lançou seu primeiro Kindle, em 2007, o produto custava US$ 400 e poderia ser considerado um item de luxo. Mas o apelo dos e-readers diminuiu consideravelmente em 2010, com o lançamento do iPad e a consequente leva de tablets, cada vez mais poderosos e baratos.

Como consequência, os e-readers foram se tornando um produto cada vez mais de nicho, voltado para quem realmente gosta de ler e decide gastar um dinheiro extra em um dispositivo que certamente é superior ao tablet quando o assunto é exclusivamente leitura de livros.

No Brasil, as opções até pouco tempo eram a linha de e-readers Kindle, da Amazon, e os leitores Kobo, vendidos pela Livraria Cultura. Na semana passada, a Saraiva entrou nesse mercado com o Lev, que tem versões sem iluminação (R$ 299) e com iluminação (preço promocional de R$ 399 até 31/08 e posteriormente de R$ 479). O iG testou a versão com iluminação do Lev e o resultado você confere a seguir.

A favor:

– Tem entrada para cartão de memória;
– Tela nítida e iluminação eficaz;

Contra:

– Ligeira lentidão ao abrir páginas com imagens;
– Não tem integração com redes sociais;

Design

O Lev não é muito diferente de seus concorrentes nesse quesito. Com tela de 6 polegadas, ele pesa 190 gramas, 20 gramas a menos do que o Kindle Paperwhite. É uma diferença pequena, mas perceptível quando se está com os dois leitores nas mãos. A traseira é emborrachada, o que evita escorregões.

O Lev tem apenas dois botões. O botão liga/desliga fica na parte inferior do aparelho. Na parte frontal, logo abaixo da tela, está o botão Home. Ao ser pressionado, ele fornece acesso à tela inicial, biblioteca de livros pessoais, loja, controle de luz e menu do livro (busca, índice e outras opções). O botão Home também ativa ou desativa a luz quando pressionado por alguns segundos.

O aparelho da Saraiva tem ainda uma entrada para cartão de memória microSD. É um diferencial interessante, pois permite que o usuário transfira arquivos PDF e de outros tipos usando o cartão.

Tela e configuração

A tela de 6 polegadas do Lev tem resolução de 1.024 x 758 e, no modelo testado pelo iG, iluminação interna. De modo geral, a experiência de leitura é muito boa. A sensibilidade ao toque da tela também se mostrou boa nos testes do iG.

A iluminação interna é forte e até mais intensa do que a do Kindle Paperwhite. Também como no leitor da Amazon é possível regular a intensidade do brilho. O Lev tem 20 níveis de intensidade.

O Lev testado pelo iG saiu de fábrica configurado para efetuar a atualização completa da tela apenas a cada cinco páginas. Mas é recomendado que essa configuração seja alterada para que a atualização completa seja feita a cada página.

Com a atualização a cada cinco páginas ocorre o efeito chamado “burn-in”. Esse efeito faz com que o conteúdo da página anterior seja visível na página aberta, o que atrapalha a leitura. O problema é resolvido ao forçar o Lev a atualizar por completo a tela a cada página virada. Isso pode em tese diminuir levemente a duração da bateria, mas o resultado compensa.

O Lev tem ainda 4 GB de memória interna, espaço de sobra para guardar livros (cerca de 4 mil, segundo a Saraiva). O aparelho tem ainda conexão Wi-Fi para acessar a loja e baixar novas publicações.

O Lev tem processador de 1 GHz e nos testes do iG o aparelho se mostrou rápido. Houve apenas pequenos atrasos, de cerca de 1 segundo, ao abrir páginas com fotos ou outras imagens.

Sistema e recursos

De modo geral, dá para dizer que o software do Lev é eficiente e fácil de usar, mas a gama de recursos não impressiona. O aparelho traz todos os recursos que se espera de um e-reader, como busca em textos, dicionário, ajustes de tamanho e tipo de letra, marcador de página e organização de livros em coleções. A marcação de páginas é fácil, bastando segurar o dedo sobre o canto superior direito.

Mas o aparelho escorrega em alguns recursos muito usados, como anotações e marcação de texto. Para fazer anotações ou marcações de texto no rival Kindle basta deslizar o dedo sobre o trecho selecionado e tocar nas opções Anotações ou Destaque.

Já no Lev o processo é inverso e mais complicado. Para marcar um texto o usuário deve pressionar o botão Home, tocar em “Menu” e depois em “Anotações”, “Configurações de anotações” e “Adicionar destaque”. Só depois de tudo isso o usuário seleciona o texto para marcação.

O Lev também não tem nenhum tipo de integração a redes sociais. Os rivais Kindle e Kobo permitem compartilhar avaliações de livros e trechos de textos em serviços sociais, entre outros recursos. O Lev também não conta com alguns recursos avançados do Kindle, como o aplicativo para PC que envia qualquer arquivo guardado no computador diretamente para o aparelho por meio da internet.

Segundo a Saraiva, o Lev tem acesso a um catálogo de cerca de 30 mil títulos em português e outros 450 mil título em outros idiomas. Além dos livros comprados na Saraiva, o usuário também pode abrir arquivos dos formatos mais comuns em arquivos de texto, como ePub, PDF e TXT. O e-reader também suporta formatos de imagem JPEG, GIF e BMP, entre outros.

Vale ressaltar que, como ocorre em outros e-readers, as opções de formatação de arquivos PDF são menores do que em livros no formato nativo do aparelho. Ou seja, dependendo do arquivo as margens ficam fora da tela, as letras muito pequenas. Uma vantagem do Lev nesses casos é o recurso Reflow do texto. Ele rediagrama o PDF e o deixa mais fácil de ler no aparelho.

Bateria

Segundo a Saraiva, a bateria do Lev dura até 3 semanas. O iG usou o produto por uma semana e não precisou recarregar a bateria. Sempre vale lembrar que deixar o Wi-Fi ligado e o brilho sempre ligado diminuem a duração da bateria. Mas, como outros leitores de livros digitais com tela E-Ink, a bateria aqui não é um problema.

Conclusão

O preço padrão (fora de promoção) do Lev com tela iluminada é de R$ 480, exatamente o mesmo de seus concorrentes diretos, o Kindle Paperwhite e o Kobo Glo. O e-reader também fica em nível semelhante aos rivais com relação à qualidade da tela e a experiência de leitura. Por outro lado, o software, embora eficaz, não tem alguns recursos presentes nos concorrentes.

No geral, o Lev é mais uma boa opção para quem quer comprar um e-reader no Brasil e é particularmente interessante para quem já é cliente fiel da Saraiva. Mas o aparelho não traz nenhum diferencial relevante em relação aos concorrentes.

No fim das contas, a maior concorrência para o Lev e para outros e-readers vem dos tablets. Esses aparelhos podem ser comprados por valores próximos aos dos e-readers e têm uma gama de funções muito maior. Mas para quem quer somente ler livros não há dúvida de que um leitor de livros digitais é melhor do que um tablet.

Ficha Técnica

Lev com tela iluminada

Preço: R$ 480 (R$ 400 até 31/08)
Configuração: tela de tinta eletrônica (E-Ink) de 6 polegadas com resolução de 1.024 x 758, densidade de 213 dpi e iluminação interna; Wi-Fi, entrada para cartão de memória microSD, porta microUSB, 4 GB de memória interna.
Dimensões (cm): 16,6 x 12 x 0,9
Peso (g): 190

IG