Com gol nos acréscimos do 2º tempo, Vila perde para a Lusa por 2 a 1

0
49

Em festa da torcida nas arquibancadas, Vila mostra luta, busca o empate após sair atrás no marcador

vilaParece uma sina, um tipo de maldição implantada pra cima dos colorados nos últimos anos. São poucos aqueles momentos de festa feito pela torcida que o Vila consegue corresponder em campo. A festa foi incrível, o time vinha embalado, mas tudo deu errado. O Vila perdeu para a Portuguesa por 2 a 1 em um Serra Dourada lotado e com requintes de crueldade, como um gol aos 47min do 2º tempo, no apagar das luzes.

O Jogo

O clima era o melhor possível, uma atmosfera positiva criada por uma torcida que merecia nota 10 sempre. Mas, dentro de campo, a coisa não foi tão fácil assim, muito pelo contrário. A Portuguesa foi exatamente o Vila dos últimos três jogos: segurou, amarrou e na base do contra-ataque, conseguia assustar e ser melhor em campo. Aos seis, Allan Dias arrancou a plenos pulmões pela direita e cruzou, a bola passou e ninguém completou. Foi o primeiro susto.

O Vila tentava manter a bola, mas a marcação era muito forte. A saída era tentar na bola parada, e foi assim em dois lances seguidos. Aos 18min, Júnior Xuxa cobrou escanteio, Allan Dias desviou e quase fez gol contra. Aos 19min, o gol colorado saiu, só que não. Xuxa cobrou o escanteio, dessa vez da esquerda, a bola foi rebatida, Gustavo chutou e Jeferson completou para o gol. Entretanto, o volante estava em posição irregular e o lance foi bem anulado.

Aos 21min, a Lusa respondeu com Djalma, que conseguiu passar pela defesa e serviu Alemão, mas o atacante bateu para defesa de Cleber Alves. Aos 33min, em uma das descidas velozes, a Lusa quase abriu o placar quando Régis serviu Gabriel Xavier, mas o meia bateu pra fora. O pior estava guardado para a etapa final.

2º tempo

Sem nenhuma mudança no intervalo, o Vila voltou pior e a Lusa voltou melhor. Resultado? O que todos no Serra Dourada torciam para que não acontecesse: o gol adversário. Aos seis minutos, Alemão puxou bom contra-ataque e tocou em diagonal para Gabriel Xavier, na área, pela direita, e o meia bateu cruzado, no angulo direito de Cleber Alves. Golaço.

Mas, a torcida colorada não desistiu e continuou apoiando. Dois minutos depois, veio a resposta. Júnior Xuxa fez a jogada e serviu Paulinho, que tentou a batida, mas a bola bateu na rede pelo lado de fora. A torcida era o maior combustível colorado, que parecia cansado pela longa viagem feita de Natal até Goiânia. Aos 21min, Léo Rodrigues, no último gás que restava, foi a direita e tentou cruzar para trás, mas o goleiro Rafael Santos afastou no carrinho, como um zagueiro.

Quanto mais ia pra frente, mais o Vila se abria. E a Lusa assustava. Allan Dias foi na esquerda, passou para Serginho, que cruzou na medida para Brian, mas o atacante, por muito pouco, não completou. E como quem não faz, leva, o Vila fez. E o Serra explodiu.

Aos 33min, em falta pela direita, no bico da área, Paulinho levantou na tranquilidade e Gustavo Geladeira, no 3º andar, cutucou de cabeça pra rede. Festa colorada. Mas ela não durou até o fim do jogo. Tudo por um erro de um jogador que vinha sendo o melhor em campo: Jeferson. O volante foi tentar fazer um corte de cabeça na área, errou e o meia Gabriel Xavier, esperto, aproveitou e colocou para a rede, aos 47min do 2º tempo. Foi um fim trágico para uma noite que poderia ter sido mágica.

730