Com auditório lotado de jovens, candidatos participam de debate, sem Arruda

0
47

arrudaComeçou sem atrasos, às 19h, o debate dos candidatos ao Governo do Distrito Federal no colégio Marista, da 615 Sul. Estão presentes Agnelo Queiroz (PT), Rodrigo Rollemberg (PSB), Luiz Pitiman (PSDB) e Toninho do PSol. Líder nas pesquisas de intenções de votos, José Roberto Arruda (PR) não participa por questão de estratégia política, segundo informa a assessoria de comunicação da campanha. Ele só deverá comparecer a debates transimitidos para a televisão.

Logo no início, o mediador, professor de Sociologia, Leandro Grass, reclamou da ausência de Arruda: “Rejeitar a ida em um debate representa despreparo e falta de compromisso com a juventude”. O candidato do PR não terá condições de se defender dos ataques que sofrerá dos adversários. O auditório está lotado e ainda há pessoas do lado de fora tentando entrar, mas não há espaço para todos. Na plateia, alunos, professores e assessores de campanha dos concorrentes.

Cada candidato teve um minuto para se apresentar inicialmente. Rodrigo Rollemberg (PSB) começou falando e logo atacou: “Brasília não quer a incompetência e a má gestão nem o rouba mais faz”. Toninho do PSol foi o segundo a se apresentar e apenas cumprimentou os presentes. Agnelo Queiroz (PT) deu boa noite a todos, agradeceu ao Maristão pela oportunidade e contou que os filhos estudaram na escola. Foi interrompido no final por ter ultrapassado o tempo estabelecido. Logo de cara, Luiz Pitiman (PSDB) informou como pretende governar: “Vou fazer um choque de gestão. Fazer mais e gastar menos”.

Também no iníciio, o senador do PS,B que se apresenta como alternativa a Arruda e Agnelo, começou a sua participação dizendo que os cidadãos não precisam se contentar com a “incompetência” ou o “rouba mas faz”. “Fui eleito no momento mais crítico da história política do DF. Estamos mudando essa imagem”, afirmou Agnelo.

Na segunda rodada, Toninho começa perguntando a Agnelo sobre segurança pública. O petista responde falando sobre interação que tem feito entre as forças de segurança e critica, mais uma vez, os Postos Comunitários. “Quando assumi, a cidade estava entre as 50 cidades mais violentas. Não está mais”, disse Agnelo.

Na abordagem sobre o tema juventude, Pitiman reclamou da demolição de uma pista de skate na Praça do DI, em Taguatinga. “Demoliram a obra porque entenderam que ali não terá usuários. É o tipo da política que não funciona”, alfineta Pitiman. Localizado atrás do posto policial, o espaço foi inaugurado há dois anos pelo governo de Agnelo, tinha muitos adeptos e foi fechado, segundo a administração de Taguatinga, devido a reclamações de moradores e comerciantes, de acordo com reportagem publicada hoje no Correio. A pista será transferida para o Taguaparque.

Correiobraziliense