Com atuação terrível da defesa, Atlético perde e tem sonho de Série A destruído

0
56

Time luta muito no ataque, mas com atuação pífia do sistema defensivo e com camisa 10 escondido, perde para o Santa Cruz por 3 a 2 e dá adeus a chance de voltar a elite do futebol brasileiro.

atleticoLonge do Serra Dourada, deu tudo certo: o Icasa venceu, o Avaí fez só 1 a 0 no Vasco, e bastava uma vitória simples do Atlético. Só que a turma rubro-negra fez feio: iludiu a torcida e deixou para fazer isso no último jogo. Com um sistema defensivo pífio, o ataque não conseguiu balancear a conta e o Atlético perdeu para o Santa Cruz por 3 a 2, destruindo o sonho de chegar à Série A do ano que vem.

O Jogo

Como era uma decisão, o Atlético não queria saber de perder tempo, tanto que tentou exercer uma pressão desde os primeiros minutos. Logo aos dois minutos, Pedro Bambu cruzou, Jorginho testou no canto, mas Fred espalmou, e na sobra, Thiago Primão chutou travado. O Santa Cruz, que jogava como franco atirador, também incomodou bastante pelos dois lados, mas não conseguia ser efetivo pelo alto.

Na bola parada, o time pernambucano gelou os rubro-negros aos 23min: em falta frontal, Alberto cobrou com categoria e a bola explodiu no travessão. O Atlético tentava ir mais na base da empolgação, já que na organização não apresentava uma boa estrutura. Jorginho, responsável por criar, aparecia mais na área para finalizar. Aos 31min, Kayke cruzou da direita, Fred saiu mal e Jorginho, livre, testou para fora. O camisa 10 ainda teve chance aos 35, mas bobeou na frente do goleiro.

2º tempo

A etapa final foi daquelas pra deixar qualquer torcedor maluco e impedir qualquer cardíaco de acompanhar o andamento do jogo. Logo com dois minutos, o Dragão fez o Serra Dourada explodir em alegria. Após sobra de escanteio, Primão lançou do meio-campo, Kayke tocou de cabeça e Junior Viçosa, sozinho, empurrou para a rede e correu pra galera. Só que, a partir daí, o Atlético parou de forma muito estranha.

Aos oito minutos, a defesa rubro-negra parou e ficou assistindo a troca de passes do Santa, até que Keno entrou livre e rolou para Léo Gamalho empatar o jogo. O gol foi um baque, já que o Avaí vencia na Ressacada. Na sequencia, o Boa também abriu o placar no Romeirão, mas o valente Icasa empatava na saída da bola seguinte. E o Atlético tentou na bola parada: aos 11min, Márcio teve falta frontal, cobrou bem, mas a bola bateu na barreira e foi pra escanteio.

O pior veio aos 16min, e aí sim, calou o Serra Dourada de vez: Keno saiu na cara de Márcio outra vez, bateu pro gol, o goleiro deu rebote e Léo Gamalho virou o jogo. O alento era que, no Romeirão, o surpreendente Icasa também virava pra cima do Boa, e fazia até o terceiro, mas nada do Atlético fazer a sua parte. Wagner Lopes tentou Diogo Campos, André Luís e Josimar, mas Jorginho, completamente sumido no jogo, continuava em campo.

Aos 38min, Diogo tentou um dos vários cruzamentos que fez na esquerda e Viçosa cabeceou, mas Fred pegou sem problemas. Aos 42min, André Luís acertou um belo sem-pulo, mas Fred fez milagre e impediu o empate outra vez. Aos 44min, entretanto, a esperança voltou a brilhar com tudo: após cruzamento da direita, Jonas testou e Josimar completou para o gol. Faltava um gol, mas Paulo Henrique tratou de ser expulso e Jorginho tratou de armar o contra-ataque para o gol de Emerson, sepultando o sonho do Dragão.

730