Cigarro mata 23 pessoas por hora no Brasil

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Share on email

cigarroJosé Carlos Isola, 62 anos, está sentindo dificuldade para respirar. O radialista aposentado sabe a causa do problema e que precisa se cuidar. Há 50 anos, ele fuma dois maços de cigarro por dia. Embora faça exercícios e ande “uma Avenida Paulista inteira por dia”, recentemente ele tem notado que , além do pigarro, passou a apresentar dificuldade em respirar.

“Eu sempre fumei, desde pequeno. Sei que está me fazendo mal, mas o problema é que eu sinto um prazer enorme em fumar. Há dois meses reduzi para um maço por dia. O último cigarro que eu fumei foi às 9 horas. Estou me controlando para não fumar outro agora”, disse Isola, às 11h30 da manhã.

As mudanças notadas por Isola foram comprovadas num exame. Ao fazer o teste de capacidade pulmonar no stand montado em São Paulo como parte da de uma campanha o Dia Mundial Sem Tabaco, que será celebrado no próximo sábado (31), ele ficou sabendo que o pulmão está comprometido.

“A capacidade pulmonar dele está comprometida. Ele já tem doença pulmonar obstrutiva crônica”, disse a Regina Maria Carvalho Pinto, pneumologista e vice-presidente da Sociedade Paulista de Pneumologia.

No Brasil, a doença pulmonar obstrutiva crônica, também chamada de enfisema pulmonar, atinge cerca de seis milhões de pessoas. Somente 12% dos pacientes são diagnosticados e desses apenas 18% recebem tratamento. A doença mata cerca de 40 mil pessoas por ano no Brasil. Em todo o mundo, a Organização Mundial da Saúde acredita de acordo com projeções que a DPOC será a terceira maior causa de morte no mundo até 2030.

Os sintomas iniciais da doença são tosse e falta de ar. “É a inflamação nos brônquios que acaba destruindo os alvéolos pulmonares. Não dá para recuperar o que foi destruído, mas parar de fumar é a primeira medida para eliminar o fator de risco. Não tem cura, mas há tratamento”, disse Regina Maria. “

Problemas evitáveis
Mas o enfisema pulmonar é uma das inúmeras doenças relacionadas ao tabagismo, considerado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) uma das principais causas de morte evitável no mundo. O cigarro está associado a várias doenças como as cardiovasculares, infecções respiratórias, cânceres, úlceras, impotência sexual e complicações na gravidez.

No Brasil, estima-se que o cigarro seja a causa de 200 mil mortes por ano, 23 por hora. No mundo, estima-se que o cigarro seja a causa de 4,9 milhões de mortes por ano, o que corresponde a mais de 10 mil mortes por dia.

Para tentar convencer a população de largar o cigarro, Sociedade Paulista de Pneumologia disponibilizou o acesso à Calculadora do Vício, programa que mede todo o dinheiro desperdiçado em cigarro desde o início de seu consumo. No caso de Isola, foram R$ 144.000,00. De acordo com os cálculos, se o dinheiro tivesse sido aplicado em poupança, renderia R$1.764.291,36. Em uma aplicação com rendimento de 1% o montante resultaria em R$ 9.374.001,53.

“Espero que estes resultados me ajudem a largar o cigarro. Pois,como eu disse, eu gosto muito de fumar”, disse.

IG

Notícia postada em  

  • 31 de maio de 2014
  • Da Redação