Chapada dos Veadeiros realiza curso para formar guias de turismo

Capacitação inédita formou 50 novos condutores. Foram abordados temas como turismo e sustentabilidade e primeiros socorros

O Parque Nacional Chapada dos Veadeiros (GO) organizou na primeira semana de julho um curso inédito para formar novos condutores de visitantes na Unidade de Conservação (UC). O evento teve apoio da Associação de Guias e Prestadores de Serviço em Ecoturismo (Servitur) e abordou temas como “Turismo e Sustentabilidade”, “Condução Turística” e “Primeiros Socorros”.

O objetivo foi atender pessoas interessadas em se capacitar para desenvolver tur cursouma nova atividade comercial nos períodos de maior fluxo de visitantes na Chapada dos Veadeiros e demais atrativos do Parque Nacional.

Ao todo, 50 novos condutores concluíram o curso e receberam certificação. “Muitos deles estão em processo de cadastramento para obter autorização de atuar no Parque Nacional”, explicou Carla Guaitanele, chefe da unidade.

O curso teve carga horária de 154 horas e foi dividido em três módulos. Servidores do Parque, condutores locais mais experientes, professores da Universidade de Brasília (UnB) e Universidade Federal de Goiás e oficiais do Corpo de Bombeiros Militar do DF ficaram responsáveis por ministrar as palestras, conciliando a teoria com a prática.

Necessidade de guias turísticos

Mesmo com o fim da obrigatoriedade de contratar um guia turístico para visitar o Parque Nacional Chapada dos Veadeiros, em todos os feriados prolongados e meses de férias é comum que os turistas aguardem no Centro de Visitantes a chegada de um condutor. Por isso, segundo Carla Guaitanele, é necessário formar novos guias. “Por haver sinalização nas trilhas e nos atrativos do Parque, esses visitantes acabam entrando na unidade, mas sem a desejada experiência diferenciada de visitação”, finalizou.

Criado em 1961, o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros está entre os municípios de Alto Paraíso de Goiás, Cavalcante e Colinas do Sul. Protege uma área de 65,5 mil hectares de cerrado de altitude, possui formações vegetais únicas, centenas de nascentes e cursos d’água, rochas com mais de um bilhão de anos, além de paisagens de rara beleza, com feições que se alteram ao longo do ano.

O Parque também preserva áreas de antigos garimpos, como parte da história local, e foi declarado Patrimônio Natural da Humanidade pela Unesco em 2001. Além da conservação, a UC tem como objetivos a pesquisa científica, a educação ambiental e a visitação pública. A caminhada e os banhos de cachoeira são as principais atividades no Parque.

Como chegar

A entrada do Parque está localizada no distrito de São Jorge, a 36 km do município de Alto Paraíso de Goiás.

De Brasília (DF), são cerca 260 km até a entrada do Parque. O acesso é feito pela BR-020, em direção à Formosa-GO. No trevo, pegar a BR-010, sentido Alto Paraíso. Após cruzar a divisa do Distrito Federal com Goiás, a BR-010 passa a se chamar GO-118. Chegando a Alto Paraíso, vire no trevo à esquerda em direção a São Jorge e siga pela GO-239 por mais 22 km de rodovia asfaltada e 14 km em estrada de terra.

O caminho de São Jorge até a portaria do Parque tem menos de 1 km de extensão, sendo possível ir caminhando, de bicicleta ou de carro. Nos períodos com maior fluxo de visitantes (meses de férias escolares e feriados prolongados), o estacionamento fica lotado e a estrada de acesso ao Parque pode se tornar intrafegável, portanto, recomendamos que deixe o seu carro em São Jorge.

A distância da portaria do Parque a Goiânia é de 460 km. Cabe ressaltar que atualmente não há cobrança de ingresso de acesso ao Parque.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock Detected

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios