Bombeira que lutava contra leucemia não consegue doador e morre em GO

Após um ano e dois meses de tratamento contra leucemia, a soldado do Corpo de Bombeiros Suzeli Ferreira de Oliveira, de 29 anos, morreu no final da manhã desta terça-feira (27) em decorrência de complicações da doença. Moradora de Jataí, no sudoeste de Goiás, ela estava internada em um hospital de Goiânia há quase um mês, sendo 15 na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Prima da bombeiro, Lázara Taciana Gomes de Oliveira disse ao G1 que a parente estava sofrendo muito: “Estava sendo muito difícil, mas tínhamos a esperança que ela ia superar. Ela sempre foi a mais forte de todas. Infelizmente, não deu. Ela descansou”.

Suzeli ingressou no Corpo de Bombeiros em 2010. A corporação lamentou, em nota, a perda da soldado: “Seu exemplo de luta pela vida ficará marcado para sempre em nossa história”.

O corpo de Suzeli será enterrado em Jataí. Entretanto, ainda não se sabe o horário e nem o local de sepultamento, pois, até as 14h30, ele ainda estava na capital.

A luta da bombeiro para encontrar um doador de medula compatível ganhou as redes sociais e repercutiu no país devido a uma campanha lançada por amigos e familiares, com o apoio do Corpo de Bombeiros. Inclusive, um primo de Suzeli, João Gabriel de Oliveira Lima,  de 4 anos, gravou um vídeo pedindo ajuda para a sua “chefe”, como ele a chamava.

Apesar de não encontrar um doador a tempo para Suzeli, o Corpo de Bombeiros informou que vai continuar com a ação para conscientizar as pessoas sobre a importância de realizar o cadastro do Registro Brasileiro de Doadores Voluntários de Medula Óssea (Redome). Lázara Taciana acredita que, indiretamente, a prima vai salvar vidas. “Com certeza a Suzeli ainda vai conseguir ajudar muitas pessoas com essa campanha”, ressaltou.

Doença

Suzeli descobriu que estava com Leucemia Linfóide Aguda (LLA) em março de 2013. Em entrevista ao G1 durante o tratamento, ela relatou que não houve muitos sintomas aparentes. “Eu apenas me sentia fraca durante as ocorrências e isso foi ficando mais frequente”.

A doença é provocada por uma produção anormal de leucócitos, células de defesa responsáveis pelo combate e eliminação de estruturas químicas estranhas ao organismo. O tratamento com quimioterapia durou até novembro do ano passado e obteve bons resultados. Desde então, Suzeli fazia apenas acompanhamento médico, além de tomar os medicamentos necessários.

Porém, no início de abril deste ano, a leucemia retornou, e de maneira mais agressiva. Por isso, agora a única esperança de cura é conseguindo um doador de medula óssea compatível. A chance de compatibilidade é de uma a cada 1 milhão de pessoas.

Suzeli afirmou na entrevista que uma das coisas mais legais de toda essa campanha na internet é difundir informação para o máximo de pessoas e aumentar o número de pessoas cadastradas no Registro Brasileiro de Doadores Voluntários de Medula Óssea (Redome). “As pessoas não têm muita informação sobre o processo, acham que é como se fosse doar um órgão, que vai fazer falta para elas futuramente, e não tem nada disso”, disse.

Fonte: G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock Detected

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios