Atlas digital traz cenários climáticos futuros para o Brasil

0
282

Embrapa apresenta conjunto de 504 mapas com informações históricas e previsões sobre o clima brasileiro; em alguns modelos a temperatura média sobe mais de quatro graus Celsius até 2100

atlasA Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) disponibilizou um atlas digital dos cenários climáticos projetados para o Brasil no quarto relatório do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC), preparado em 2007.

O aquecimento do sistema climático é inequívoco e evidenciado pelas observações de aumento de temperatura das superfícies da terra e do oceano, sendo muitas das mudanças observadas desde a década de 1950 sem precedentes ao longo de décadas a milênios, segundo o IPCC de 2013. Devido à atividade humana, as concentrações atmosféricas de gases de efeito estufa de dióxido carbono (CO2), metano (CH4) e óxido nitroso (N2O) têm aumentado desde 1750, principalmente de emissões de combustíveis fósseis e, secundariamente, de mudança do uso da terra. A elevação gradual da temperatura provoca alterações na dinâmica da atmosfera, intensificando os ciclos hidrológicos e de energia e modificando potencialmente todos os aspectos do clima.

Conforme os autores, “o Atlas é constituído de uma coleção de mapas climáticos digitais de temperatura média do ar (mínimas, médias e máximas), precipitação pluvial, umidade relativa do ar e duração de período de molhamento foliar para o Brasil. São 504 mapas mensais abrangendo o clima do período de referência de 1961-1990 e simulados para os períodos futuros de 2011-2040, 2041-2070 e 2071-2100, dispondo de dois cenários de emissão de gases de efeito estufa do IPCC, B1 (otimista) e A2 (pessimista)”.

“Apresentado em uma mídia digital, a consulta se torna mais dinâmica e com qualidade visual, facilitando a análise dos mapas. Além disso, a publicação apresenta figuras, tabelas e dados originais das projeções de precipitação pluvial e temperatura média do ar dos modelos climáticos globais do Quarto Relatório do IPCC, com recorte para o Brasil, disponíveis em arquivos no formato texto, que podem ser acessados de maneira rápida”, complementam os autores.

Este documento é derivado principalmente dos resultados dos projetos da Embrapa “Impactos das mudanças climáticas globais sobre problemas fitossanitários” – Climapest – Macroprograma 1 e “Impacto das mudanças climáticas sobre doenças e pragas em cultivos de importância para a agroindústria da Argentina e do Brasil” – Climafitos – Macroprograma 3, de cooperação com o INTA-Argentina. Os mapas foram gerados em Sistema de Informações Geográficas e fazem parte da abordagem metodológica proposta para os estudos.

Os autores do Atlas são Emília Hamada e Raquel Ghini, pesquisadoras da Embrapa Meio Ambiente (Jaguariúna, SP), José Antonio Marengo, pesquisador do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Cachoeira Paulista, SP), Bruno Silva Oliveira e Sulimar Munira Caparoci Nogueira, doutorandos do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (São José dos Campos, SP).