Após roubo, dois suspeitos são achados mortos em fazenda de Goiás

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Share on email

Feitas reféns, vítimas disseram que 5 homens invadiram fazenda.

Dois dos cinco homens apontados como assaltantes de uma fazenda foram encontrados mortos a menos de 200 metros da sede da propriedade rural, em Luziânia, no Entorno do Distrito Federal. A Polícia Civil crê que, logo após sair da casa, os criminosos se desentenderam. A confusão resultou na morte de dois deles. Os outros três fugiram.

“Considerando que as vítimas estão falando a verdade, que eram cinco pessoas. Possivelmente, os criminosos se desentenderam ou parte deles já tinha algo armado que resultou na morte dos dois”, declarou ao G1 o delegado responsável pelo caso, Eduardo Gomes.

A fazenda fica a cerca de 30 km de Luziânia. O dono da propriedade rural, que prefere não ser identificado, conta que estava fechando a porteira quando os criminosos chegaram ao local, por volta das 19h de segunda-feira (28). Ele conta que foi rendido e agredido.

“Vieram correndo com a arma em punho e dizendo que era um assalto, para eu não correr que eles atirariam. Aí eles vieram até a sede fazenda. Aqui chegaram, buscaram o caseiro com três crianças e a esposa. Fomos fechados dentro do banheiro”, relata o fazendeiro.

Os reféns ficaram trancados em um banheiro de menos de 2 m². Logo depois de o grupo sair da sede, eles escutaram os tiros.

Os corpos dos dois assaltantes que morreram foram levados ao Instituto Médico Legal da cidade. No entanto, não foram identificados até a manhã desta quarta-feira (30).

As vítimas contam que o grupo roubou vários eletrodomésticos e até um carro. “A sensação que você fica é de impotente, que vale pouco, porque eles te humilham, eles pisam em você. Você está de costas, todo amarrado e eles te xingam, você sente que você não é nada, porque a zona rural nossa aqui está desprezada”, lamenta o fazendeiro.

A Polícia Civil visa identificar o motivo da confusão entre os criminosos. “A polícia está nas ruas com o objetivo de identificar essas pessoas, quem seriam os comparsas que poderiam estar com eles para esclarecer o que aconteceu”, disse o delegado.

G1

Notícia postada em  

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e nosso Termos de Uso, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.