Após rebaixamento, Rassi anuncia limpa geral no Goiás: “pouquíssimos ficarão”

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Share on email

O Goiás confirmou o seu rebaixamento no Brasileirão Série A ao ser derrotado em pleno Serra Dourada para o São Paulo, na última rodada da competição. O time ficou na penúltima colocação (19°), com 38 pontos e terá que disputar a Série B em 2016, ao lado dos arquirrivais Atlético-GO e Vila Nova.

O presidente do clube, Sérgio Rassi, viu como fator preponderante para esse fracasso as derrotas para adversários diretos na luta contra o rebaixamento. A derrota para o São Paulo, que confirmou o descenso, foi minimizada pelo cartola:

“Fomos rebaixados não hoje, fomos naqueles jogos contra o Figueirense e Coritiba, daí o tamanho da revolta que tive naquelas derrotas. Hoje vi o resultado como normal, para um São Paulo com um time bem superior ao nosso. O que não pode acontecer é perder jogos de seis pontos em casa. Isso é ser rebaixado”.

Visivelmente abatido e decepcionado com vários pontos de sua administração nesse ano, o presidente, que deve ser aclamado para reeleição e seguir à frente do clube no biênio 2016/17, anunciou que muitas mudanças acontecerão, principalmente no departamento de futebol:

“À partir de amanhã iremos atrás de uma reformulação de todo o futebol. Não vou citar nomes, mas vamos nos reunir e ver onde foi a maior falha e onde precisamos ser mais urgentes na atitude. Isso foi uma lição para tomar medidas mais enérgicas e dedicar mais atenção ao futebol do que foi dedicado esse ano por motivos que todos sabem (grave crise financeira)”.

O elenco também não será “perdoado” pelo mandatário: “Temos que rever tudo no Goiás, desde a base até a direção do futebol. Dos atletas que estão nesse elenco, pouquíssimos irão permanecer. Queremos jogadores guerreiros, com qualidade técnica e que acima de tudo honrem a camisa. Alguns jogadores da base que não renderam o esperado, cheio de pormenores, e os experientes que eram para ser espelhos e não assumiram esse papel por falta de união ou o que quer que seja”.

730

 

Notícia postada em  

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e nosso Termos de Uso, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.