Aparecida de Goiânia, sexta-feira, 17 de setembro de 2021
Cidade está no cenário amarelo.

Aparecida segue com tendência de queda no número de contágios do coronavírus

Redação
13 de abril de 2021

Cidade está no cenário amarelo. Isolamento social intermitente por escalonamento regional continua no município e comércios ficam fechados uma vez de segunda à sexta-feira. Aos domingos, todos os estabelecimentos não essenciais fecham

Nesta segunda-feira, 12 de abril, primeiro dia de retorno ao cenário amarelo (risco moderado) da pandemia em Aparecida de Goiânia, dados da Secretaria de Saúde (SMS) apontam desaceleração da transmissibilidade e do número de casos ativos da covid-19, bem como redução da pressão no sistema de saúde municipal e nas taxas de ocupação de leitos de UTI. Mesmo assim, a pasta alerta que o escalonamento regional intermitente continua. No cenário atual, os comércios de cada uma das 10 macrazonas da cidade ficam fechados uma vez de segunda à sexta-feira, inclusive os essenciais. Aos domingos, todos os estabelecimentos não essenciais da cidade fecham.

De acordo com o secretário de Saúde Alessandro Magalhães, a análise permanente do cenário epidemiológico da cidade tem demonstrado, nos últimos 10 dias, uma desaceleração no número de casos ativos e da pressão do sistema de saúde municipal: “A taxa de ocupação de leitos de UTI tem caído gradativamente, hoje ela está, em média, a 75%. Especificamente para casos de covid-19, temos 180 leitos de UTI e 152 de enfermaria disponíveis, sendo 37 vazios.”

O gestor ainda destaca a redução no índice de transmissibilidade (Taxa R) do novo coronavírus no município. “O R calculado no final da semana passada está em 0,98, abaixo de 1, o que significa que cada 100 pessoas com a doença podem contaminar outras 98. Ainda não é o que queremos atingir, mas é um dado que indica uma tendência de desaceleração da doença no município conforme parâmetros científicos do Imperial College de Londres.

Decisão científica

Essas informações, aliadas a outros indicadores, fundamentaram o Comitê Municipal de Prevenção à Covid-19 para a decisão de retorno ao cenário amarelo (risco moderado). No último dia 6, o grupo que é coordenado pelo secretário Alessandro Magalhães, fez uma nova avaliação do cenário epidemiológico do município após 21 dias da suspensão das atividades econômicas não-essenciais iniciada em 15 de março. Para tal deliberação, o Comitê considerou, dentre outros aspectos, o aumento do número de leitos de UTI e enfermarias na rede municipal, a testagem em massa permanente, as medidas sanitárias implantadas na cidade e a redução do número de casos ativos no período.

“Para tomar uma decisão tão importante, analisamos diariamente 8 indicadores essenciais no município, tais como os casos ativos, a média móvel de exames de diagnóstico para covid-19 (RT-PCR) positivos, a letalidade, a quantidade de profissionais afastados pela doença e a taxa de ocupação de leitos de UTI. Agora notamos uma redução gradativa nos últimos dias e constatamos, também, que o escalonamento regional tem contribuído para esses resultados positivos. A população entende a gravidade da pandemia e sabe que, se num dia tem que fechar os estabelecimentos, no outro pode-se trabalhar sem descuidar das medidas sanitárias”, pondera o secretário, que acrescenta: “Esse modelo de escalonamento facilitou o distanciamento social, que está por volta de 46% na cidade e possibilitou essa decisão.”

Uso correto das máscaras

Na opinião do secretário, esses indicadores positivos reforçam “o cenário atual de estabilidade com tendência a redução do número de casos e de pressão no sistema, mas não podem servir para quaisquer descuidos da população. Não é hora de relaxar no uso correto das máscaras, por exemplo. Máscara com o nariz de fora ou no queixo é o mesmo que não estar usando. Sempre digo para as pessoas usarem esta proteção adequadamente e orientar amigos, parentes e colegas a respeito.” Ele também frisa que a higienização das mãos, o uso do álcool gel, a ventilação dos ambientes e o distanciamento social “são indispensáveis. Só se deve sair para trabalhar e para o estritamente necessário, como para comprar alimentos e ir a consultas de saúde que não podem esperar. Quem puder, deve ficar em casa”.

UTI HMAP FOTO GUILHERME CARDOSO

Perspectivas para abril

O secretário de Saúde espera que essa tendência positiva persista e alerta: “repito que não há a menor possibilidade de diminuirmos os nossos esforços. A Prefeitura continua em alerta máximo, a Secretaria de Saúde está mobilizada 24h por dia e todos têm o dever cidadão de seguir as orientações das autoridades sanitárias para proteger a si mesmo e à toda a sociedade. Quem desrespeita as normas, se aglomera, não usa máscara e não segue os cuidados de higiene das mãos está colocando em severo risco a vida de todas as pessoas. Tenhamos responsabilidade e amor ao próximo, esse é um pedido de todos os profissionais do Sistema Único de Saúde (SUS).”

DENÚNCIA DE IRREGULARIDADES?

envie um email para

[email protected]

2005 - 2021
magnifiercross linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram