Aparecida já conta com R$ 9 milhões do Ministério da Saúde para novo hospital

0
151

O prefeito de Aparecida de Goiânia, Gustavo Mendanha, confirmou nesta terça-feira (2) que o novo Hospital Municipal deverá começar a funcionar de forma gradativa, em três etapas. Para a primeira delas, a prefeitura conta com a liberação de pelo menos R$ 9 milhões de um total de R$ 38 milhões que são pleiteados junto ao Ministério da Saúde. A declaração do prefeito foi dada aos jornalistas Rubens Salomão, Eduardo Horário e Cleber Ferreira ao programa “Primeiro Tempo da Notícia”, na Rádio 730 AM.

“Preciso, por uma questão de justiça, fazer referência ao ex-deputado federal Sandro Mabel. Ele não tem medido esforços para nos auxiliar com todos os trâmites burocráticos imprescindíveis a uma operação [de repasse de recursos] deste porte”, enfatizou o prefeito. Mabel é hoje um dos principais assessores do presidente da República, Michel Temer, e despacha diretamente do Palácio do Planalto.

Ainda sobre temas ligados à Saúde, o prefeito afirmou que Aparecida “sente” as conseqüências dos graves problemas enfrentados pela Prefeitura de Goiânia em suas unidades de saúde em decorrência da paralisação de médicos na Capital e da forte tensão nas relações da categoria com o poder público. A sobrecarga nas unidades de Aparecida é uma destas conseqüências, apontou Gustavo Mendanha.

“O cenário lá parece mais pacificado, creio que todos caminham para um entendimento e a situação como um todo, inclusive na nossa cidade, se normalizará. Por outro lado, se já fomos, em tantas circunstâncias, auxiliados pela Capital, também é de bom tom que prestemos ajuda a eles neste momento”, disse o prefeito, referindo-se às duas cidades como “irmãs”.

Transporte
Gustavo Mendanha voltou a ser questionado sobre seu posicionamento, como presidente da Câmara Deliberativa do Transporte Coletivo (CDTC), acerca do aumento da tarifa do transporte coletivo. “Repito: antes de tratarmos de valores, vamos tratar de melhorias como um todo. Aumento no número de veículos e de linhas, organização dos terminais, qualidade do serviço oferecido. Isto que interessa, isto que está em primeiro plano”.

Ele confirmou que, até o momento, não há reunião agendada com os demais integrantes da CDTC para tratar do reajuste. “E no que diz respeito à Aparecida, não vamos mais ser coadjuvantes no assunto ‘transporte coletivo’”, avisou.

Ainda no programa “Primeiro Tempo da Notícia”, o prefeito de Aparecida pode detalhar o que ele próprio classificou de “peregrinação” a Brasília (DF). “Aprendi com meu antecessor, Maguito Vilela: quanto mais parcerias, melhor. Vou me empenhar ao máximo para trazer recursos da União para Aparecida. Por isso as reuniões constantes com ministros, com deputados que podem liberar emendas e com senadores goianos”, explicou. Gustavo mencionou, como exemplo, o repasse de R$ 7 milhões que o senador Ronaldo Caiado (DEM) articulou para obras de pavimentação asfáltica no município.