Aparecida de Goiânia, domingo, 17 de outubro de 2021
Saúde

Aparecida fortalece a humanização do atendimento na Farmácia de Alto Custo

Marcus Vinicius
10 de outubro de 2021

Palestras com profissionais da Saúde Mental são realizadas nas unidades da pasta para aprimorar os trabalhos desenvolvidos e atender a população com excelência. Recentemente, a iniciativa foi aplicada na Farmácia de Alto Custo

A humanização no atendimento é um dos principais focos da Secretaria Municipal de Saúde de Aparecida, afirma a coordenadora de Saúde Mental da pasta, Carolina Sartori. Nesse sentido, além das capacitações constantes, sempre que uma unidade da SMS solicita uma abordagem específica sobre o tema são realizadas palestras, rodas de conversas e outras iniciativas desenvolvidas pela equipe da Saúde Mental para aprimorar o trabalho dos profissionais e os serviços prestados à população.

“A humanização no Sistema Único de Saúde (SUS) é uma estratégia essencial que envolve profissionais, usuários e gestores numa rede de colaboração e excelência dos serviços prestados aplicada nas práticas de atenção e gestão na rede. Nesse sentido, o Ministério da Saúde (MS) criou, em 2003, a Política Nacional de Humanização para qualificar o Sistema em todos os níveis e aqui em Aparecida estamos empenhados em dar melhores condições de trabalho para nossos trabalhadores e melhores atendimentos à população”, destaca Carolina Sartori.

A mais recente dessas iniciativas foi feita na Farmácia de Alto Custo, localizada na Rua Manaus (Bairro Vera Cruz), no último 24 de setembro. O diretor administrativo da unidade, Fabrício Alves, para reduzir a pressão rotineira sofrida pelos servidores e aperfeiçoar os trâmites internos e o atendimento aos usuários, solicitou ao pessoal da Saúde Mental uma atividade e com isso a Farmácia recebeu a visita da psicóloga Daniela Cristina Camargo para uma palestra técnica realizada às 7h30, antes da abertura da Farmácia.

Valorização dos trabalhadores

Na ocasião, a psicóloga, que é do Núcleo de Saúde Mental da SMS, falou sobre o processo coletivo de construção de uma Saúde Pública acessível e universal, a importância de ouvir e respeitar as singularidades de cada indivíduo e as relações humanas no trabalho, além de estimular a comunicação em todos os níveis e o acolhimento para um bem-estar físico e psicológico. “A receptividade foi excelente, todos estavam muito atentos. O trabalhador precisa ser olhado e valorizado para se sentir pertencente onde está, e, dessa forma, atender as pessoas com mais qualidade e enfrentar os desafios do dia-a-dia com mais serenidade. Como pediram mais momentos assim, vamos viabilizar”, ressaltou Daniela Cristina.

Após a palestra, foi servido um café-da-manhã para os profissionais da Farmácia num momento de descontração antes da abertura dos trabalhos do dia. Nesse momento, vários servidores aproveitaram para expor o que acharam da iniciativa, como fez Washington de Moralha: “Gostei muito. Acho que devemos ter mais palestras assim e até com mais setores da secretaria envolvidos, é de grande valia para o nosso trabalho e para o cuidado que temos com quem precisa de nós, que são os usuários”.

Micael Lima também pediu por mais palestras do gênero e disse se sentir “mais tranquilo após a dinâmica. Trabalhamos sob muita pressão dos usuários, o que é natural porque somos uma unidade de dispensação de medicamentos e suplementos, então quem nos procura está precisando dos produtos para o seu bem-estar. Precisamos de ajuda psicológica adequada e sabemos que podemos contar com o Núcleo de Saúde Mental até mesmo para um desabafo, uma conversa acolhedora porque temos que estar sempre atentos e prestativos para atender à população com a máxima qualidade possível”.

Já a servidora Eliete, além de concordar com a importância da palestra, parabenizou a direção da Farmácia por solicitar a dinâmica, que ela considerou “um amparo necessário” e acrescentou: “Foi um espaço para sermos ouvidos, também, e discutirmos nossas demandas e desafios para lidarmos melhor com as pressões do dia-a-dia. Pode parecer simples, mas para nós foi algo tremendo que vai fazer diferença em nossas vidas”.

O diretor Fabrício Alves relatou que “a princípio, solicitamos essa palestra para, além de acolher e orientar a equipe, termos um momento de reflexão entre nós para debatermos os desgastes e o stress enfrentados nos ambientes de trabalho. Na palestra pudemos notar o cansaço e as dificuldades físicas e mentais enfrentadas pelos nossos trabalhadores, algo que é, infelizmente, comum em muitas atividades profissionais e não é diferente no SUS”.

Melhores serviços e atendimentos

Segundo Fabrício Alves, “a receptividade foi muito boa, percebemos que houve uma sensação de união e pertencimento e todos querem repetir a dose com frequência, inclusive trazendo profissionais de outros setores da SMS para consolidar essas reuniões e buscar soluções para os entraves de rotina e outros que porventura surjam. E quem ganha com isso? Nós, servidores, mas, principalmente, a população, toda a sociedade”.

A Política Nacional de Humanização do SUS

A estratégia se baseia na inseparabilidade entre a atenção e a gestão dos processos de produção de saúde, transversalidade e autonomia e protagonismo dos sujeitos. Segundo o MS, a Política Nacional de Humanização está em permanente atualização, é construída coletivamente e envolve os governos federal, estaduais e municipais num esforço para garantir a universalidade do acesso, a integralidade do cuidado e a equidade das ofertas em Saúde

DENÚNCIA DE IRREGULARIDADES?

envie um email para

[email protected]

2005 - 2021
magnifiercross linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram