Aparecida completa um ano de vacinação contra a Covid-19 com mais de 860 mil doses aplicadas

Da Redação
21/01/2022 - 09:44
  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Linkedin
  • Compartilhe no Telegram
  • Compartilhe no WhatsApp

Aparecida completa um ano de vacinação contra a Covid-19 com mais de 860 mil doses aplicadas

87,3% da população com mais de 12 anos já recebeu a primeira dose e 78,1% já completou o esquema vacinal básico

Há um ano, em 20 de janeiro de 2021, Aparecida de Goiânia celebrava o início da Campanha de Vacinação contra a Covid-19. A abertura ocorreu no Hospital Municipal de Aparecida (HMAP), com a presença de diversas autoridades, e com a aplicação dos imunizantes nos profissionais de saúde do hospital, que é referência em Goiás para tratamento da doença. Era o início de uma nova era do enfrentamento à pandemia. Ontem, 19 de janeiro de 2022, um ano depois, a cidade completou 862.791 doses aplicadas.

“Esse é o resultado do esforço de cientistas, do poder público e, em especial, de nossos profissionais de saúde, que há um ano trabalham quase que ininterruptamente para imunizar o máximo de pessoas. É também o resultado do pacto coletivo que os moradores de Aparecida fizeram ao procurar os postos. A vacinação é a maneira mais eficaz de salvar vidas. Ela é segura, confiável e essencial. Hoje, sou só gratidão por todos que se empenharam para fazer a imunização acontecer. Meu muito obrigado!”, agradeceu o prefeito Gustavo Mendanha.

O gestor lembrou ainda que muitas vidas foram perdidas porque não tiveram a oportunidade de receber a vacina: “Lembro como se fosse hoje do entusiasmo para lançar a Campanha de Vacinação. O dia 20 de janeiro de 2021 ficará marcado para sempre em minha memória como uma data de esperança. Foi o fôlego que precisávamos para continuar a luta contra o vírus. Infelizmente, o imunizante não chegou a tempo para todos. Meu pai foi um que não teve o privilégio de tomar a vacina. Por isso, fico tão emocionado em saber que mais de 860 mil doses já foram aplicadas e tantos filhos de Aparecida já foram salvos pela imunização”.

Retrospectiva

O secretário de Saúde, Alessandro Magalhães, relembrou as expectativas que tomaram conta da cidade com o início da Campanha de Vacinação: “Eu, assim como a maioria da população, acompanhei com ansiedade cada avanço da imunização contra a covid. O anúncio dos primeiros testes, as notícias sobre a eficácia, a aprovação pela Anvisa, a capacitação dos aplicadores e a chegada das primeiras doses em Aparecida. A partir daí, seguindo o Plano Nacional de Imunizações, começamos a vacinar os grupos prioritários, levando os imunizantes até unidades de saúde, abrigos, indústrias, entre outros, além de estruturar os postos, incluindo dois drive-thrus, e o aplicativo para agendamento”.

Alessandro contou que conforme novas remessas chegavam na cidade, a equipe da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) repensava as estratégias. “Em 15 de junho iniciamos a vacinação da população em geral por faixa etária, independente de pertencer a qualquer grupo prioritário. Três meses depois já tínhamos chegado aos 18 anos e, em 15 de setembro, iniciamos a vacinação dos adolescentes. Em meio a tudo isso, realizamos mutirões e campanhas de incentivo à imunização. No dia 18 de novembro, incluímos a vacinação contra a covid-19 em todas as salas de imunização da cidade, saltando de 10 postos para 37. Em janeiro de 2022 iniciamos a vacinação infantil”, detalhou.

A coordenadora de Imunização de Aparecida, Renata Cordeiro, também fez uma retrospectiva das etapas seguidas pela cidade e destacou ainda uma característica marcante da Vacinação contra a Covid-19: “Essa é uma Campanha que estamos construindo dia após dia. Nada veio pronto, acabado e redondo. Foi necessário utilizarmos toda a bagagem que tínhamos com anos de experiências bem sucedidas em Imunização para respondermos de forma rápida e eficiente às especificidades e dificuldades dessa vacinação. Depois de 365 dias nessa rotina, respiro aliviada, certa de que acertamos muito mais do que erramos”.

E completou: “Quem aqui se lembra do medo coletivo de não ser vacinado, das filmagens durante a aplicação das doses e até mesmo das dancinhas para comemorar o momento? Parece que vivemos décadas em um único ano. Sem contar as fake news envolvendo o assunto que foram verdadeiros atentados contra a saúde pública. Enfim, conduzir a vacinação contra a covid mostrou-se exaustivo, estressante e desafiador. O que nos move é a certeza de que a imunização é o melhor caminho para salvar vidas”.

Balanço

Das 862.791 vacinas aplicadas em Aparecida até esta quarta-feira, 19 de janeiro, 417.335 foram de primeira dose. O número indica que 87,3% da população com mais de 12 anos, estimada em em 477.878 moradores, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), já recebeu ao menos a D1.

Além disso, 373.371 pessoas com mais de 12 anos já completaram o esquema vacinal básico em Aparecida. 356.861 receberam a segunda dose e 16.510 foram vacinadas com imunizante de dose única. O total representa 78,1% da população adulta e de adolescentes de Aparecida com a imunização completa.

Seguindo as indicações de especialistas que orientam a aplicação da dose de reforço para aumentar a proteção contra o coronavírus, 71.296 pessoas procuraram os postos do município com esse objetivo. Ou seja, 14,9% da população acima de 12 anos já recebeu a “terceira dose” ou “dose de reforço da Janssen”.

Sobre a vacinação infantil iniciada nesta semana, 889 crianças de 5 a 11 anos de idade já receberam a primeira dose da vacina pediátrica. A população estimada dessa faixa etária é de 58.545 habitantes.

Ao todo, até a data de ontem, 19, o município já havia recebido 955.234 doses de vacina. O atual estoque da cidade é de 8.898 doses da Pfizer; 70.060 da AstraZeneca, 1.401 da Coronavac, 10.115 da Janssen e 2.910 da Pfizer Pediátrica.

A vacinação em Aparecida

Atualmente, qualquer morador acima de 12 anos pode receber a primeira dose da vacina contra a covid-19 em 38 postos que funcionam sem necessidade de agendamento. A D1 é aplicada mediante a apresentação de documento de identidade ou certidão de nascimento, cartão SUS ou CPF. Menores de 18 anos precisam estar acompanhados de algum responsável.

Já a segunda dose é aplicada mediante a apresentação de documento de identidade e CPF ou Cartão SUS e o Cartão de Vacinação, de acordo com os intervalos mínimos previstos entre a primeira e a segunda aplicação, seguidos pela SMS: 28 dias para a Coronavac e oito semanas para Pfizer e AstraZeneca.

Além disso, qualquer pessoa que tenha recebido a segunda dose dos imunizantes Coronavac, AstraZeneca ou Pfizer há quatro meses pode receber a dose de reforço (terceira dose) mediante a apresentação do documento de identidade e CPF ou Cartão SUS e o Cartão de Vacinação. Quem recebeu a dose única da Janssen também pode receber o reforço no intervalo de dois meses.

Os postos de vacinação nas seguinte UBS’s funcionam de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h, com distribuição de senhas para organização do serviço: UBS Andrade Reis; UBS Bairro Cardoso; UBS Bairro Ilda; UBS Bairro Independência; UBS Bandeirantes; UBS Buriti Sereno; UBS Campos Elíseos; UBS Cândido de Queiroz; UBS Caraíbas; UBS Chácara São Pedro; UBS Cruzeiro do Sul; UBS Expansul; UBS Independência Mansões; UBS Jardim Bela Vista; UBS Jardim Boa Esperança; UBS Jardim dos Buritis; UBS Jardim dos Ipês; UBS Jardim Florença; UBS Jardim Olímpico; UBS Jardim Paraíso; UBS Jardim Tiradentes; UBS Madre Germana; UBS Nova Olinda; UBS Papillon Park; UBS Parque Trindade; UBS Pontal Sul II; UBS Residencial Anhambi; UBS Residencial Garavelo Park; UBS Retiro do Bosque; UBS Riviera; UBS Rosa dos Ventos; UBS Santa Luzia; UBS Santo André; e UBS Veiga Jardim.

A Central de Imunização e o drive da Cidade Administrativa funcionam de segunda a sexta, das 8h às 18h, e aos sábados, das 8h às 12h.

Vacinação infantil

Aparecida também já está vacinando crianças de 5 a 11 anos. O serviço está disponível em sete postos fixos: Central de Imunização e UBS´s dos bairros Andrade Reis, Anhambi, Bairro Cardoso, Retiro do Bosque, Veiga e Jardim Olímpico. Nesses locais, crianças com 11 anos completos e crianças acima de 5 anos que tenham deficiência permanente ou comorbidades ou que sejam indígenas ou quilombolas são imunizadas, mediante a apresentação da certidão de nascimento ou RG e cartão SUS ou CPF. Elas também precisam estar acompanhadas de um responsável legal ou apresentar termo de autorização do responsável.

Além disso, a SMS está realizando uma maratona de visitas em mais de 50 escolas da cidade para vacinar crianças de 5 a 11 anos.