Aparecida comemora 51 anos de emancipação política nesta sexta-feira, 14

               aparecidaNa próxima sexta-feira, 14, Aparecida de Goiânia comemora 51 anos de emancipação política. Apesar de seus 92 anos, o município só se tornou município após sanção da Lei Estadual nº 4927, de 14 novembro de 1963, pela Assembleia Legislativa. A lei elevou o então Distrito à categoria de município, conquistando assim sua independência política e econômica. Em decorrência da data, sexta-feira é feriado municipal.

            E os 500 mil habitantes de Aparecida têm muito o que comemorar. Desde a sua emancipação, há 51 anos Aparecida vem conquistando posição de destaque no cenário nacional no aspecto político-administrativo. Posição essa que se consolidou nos últimos seis anos com a administração do Prefeito Maguito Vilela que colocou o município no mapa nacional e conquistou recursos para transformar a cidade com obras e investimentos.

            Aparecida de Goiânia, por não possuir uma área geográfica grande que possibilitasse o setor primário, tanto na área agrícola quanto na pecuária, buscou sua base econômica na industrialização. Na década de 90, começou o processo de industrialização de forma mais intensa, que já se desenvolvia de modo espontâneo, tendo em vista que o município se localiza na região sul da capital do Estado e possui ligação com a região Sudeste do País, pela BR-153 e ainda possui ligação com a BR-060 pelo Anel Viário.

            Além dos benefícios para a população em todas as áreas, nos últimos anos o processo de industrialização foi se firmando e transformou a cidade em um polo industrial e empresarial. Atraindo diversas empresas de várias cidades e até de outros países, e de ramos diferenciados, que se instalaram no município, pela sua potencialidade econômica, infraestrutura e localização estratégica.

            É importante frisar que todo esse desenvolvimento é resultado de grandes parcerias entre o setor público e privado, em especial com governo federal e estadual, que garantem a continuidade dos investimentos e a melhoria na qualidade de vida dos aparecidenses.

Desenvolvimento com responsabilidade

            O último Índice da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan) de Gestão Fiscal (IFGF), divulgado em 2011, apontou que a Prefeitura de Aparecida possui Gestão de Excelência. De acordo com a Firjan, o índice é uma ferramenta de controle social que tem como objetivo estimular a cultura da responsabilidade administrativa, possibilitando maior aprimoramento da gestão fiscal dos municípios.

            Responsabilidade com os gastos públicos, investimento em recursos humanos e materiais para aprimorar a arrecadação, sem fazer terrorismo fiscal, disciplina e perseverança para efetivar a mudança cultural e investimentos em setores básicos como educação, saúde e infraestrutura são os princípios que norteiam a administração pública municipal em Aparecida.

            Conforme o estudo, apenas 84 municípios dos 5.164 pesquisados possuem Gestão de Excelência. Destes, apenas três são goianos, entre eles Aparecida de Goiânia. Em 2008, o município aparecia no 889º lugar no ranking nacional e no 28º no ranking estadual. Agora, nacionalmente, a cidade aparece em 67º e 3º lugar em Goiás, atrás apenas de Rio Verde e Alto Horizonte, respectivamente.

            Em abril deste ano Aparecida de Goiânia foi listada entre as 10 melhores cidades em desenvolvimento econômico do país. A colocação foi repassada pela pesquisa “As melhores cidades para os negócios”, realizada pela consultoria Urban Systems e publicada na revista Exame (edição de 30/04). Na publicação, a cidade aparece 7º lugar neste ranking com uma nota de 5,77, numa escala de zero a 14.

PIB em crescimento

            O PIB, que é a soma de todos os bens e serviços finais produzidos, saltou de R$ 3,7 bilhões em 2008 para R$ 7,5 bilhões no último ano. Em pouco mais de quatro anos, o município dobrou sua execução orçamentária de R$ 308 milhões para R$ 612 milhões, o que fez com que o município saltasse do quinto para o terceiro lugar do Estado nesse quesito.

            Nos últimos anos, Aparecida ainda ampliou, em 94% sua receita total e em 86% a receita per capita, que saiu de R$ 687 para R$ 1,2 mil. Prova de que o aparecidense está sabendo usar seu dinheiro, investindo nele mesmo e em sua cidade, hoje a 4ª metropolitana com maior poder de consumo do país e 39° maior do País.

Polos industriais geram emprego e renda

            E o desenvolvimento não para. Atualmente o município conta com cinco pólos industriais, sendo eles o Distrito Agroindustrial de Aparecida de Goiânia (Daiag), o Distrito Industrial Municipal de Aparecida de Goiânia (Dimag), Polo Empresarial Goiás, Parque Industrial e o Polo de Reciclagem. Além da Cidade Empresarial, localizada na Avenida Rio Verde, e de outros dois em implantação, o polo logístico e o Complexo Industrial Metropolitano. Dois polos particulares também estão sendo implantados na cidade.

            As estatísticas também são positivas quando se fala em ICMS – Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços. A cidade ocupa o terceiro lugar em arrecadação no estado. E abriga o terceiro maior shopping Center de Goiás e milhares de comércios que geram mais de 100 mil empregos diretos e indiretos. Aparecida contará ainda com mais um grande empreendimento, o Aparecida Shopping, que movimentará cerca de R$ 155 milhões por mês.

 Investimento em qualidade de vida

            Apesar dos problemas que ainda enfrenta a cidade prioriza setores essenciais, como educação, saúde, segurança e economia, e é uma das que mais investe em infraestrutura em todo o país. O resultado é um crescimento em ritmo acelerado, especialmente nos últimos seis anos.

            Os investimentos em Infraestrutura ultrapassam os R$ 600 milhões com recursos próprios e do Governo Federal. Mais de 100 bairros receberam obras de pavimentação, recapeamento e foram recuperados diversos bueiros que apresentavam problemas em suas estruturas.

            Na educação, a cidade vem se tornando uma cidade universitária com a vinda da Universidade Federal de Goiás (UFG), Instituto Federal de Goiás (IFG), Universidade de Rio Verde com curso de medicina, e demais entidades privadas que se instalaram e ainda serão instaladas. Além do ensino superior, a cidade prioriza o ensino o ensino infantil com a construção de 43 Centros Municipais de Educação Infantil, Reforma e ampliação das escolas de ensino fundamental e a construção de quatro escolas-modelo padrão século 21.

            Na saúde os investimentos também somam milhões. Desde 2009 foram construídas e inauguradas oito Unidades Básicas de Saúde (UBS´s), outras 19 estão em construção. Uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) no setor Brasicon com mais duas em construção. Além da reforma dos Cais Nova Era e Garavelo e do Centro de Saúde Madre Germana. As obras do Hospital Municipal com 220 leitos já foram iniciadas. O valor total é de R$ 67 milhões, recursos do Ministério da Saúde e contra partida do Tesouro Municipal. Além dos leitos a unidade contará com 40 leitos de UTI.

            Aparecida de Goiânia também se orgulha de ser a primeira cidade do Estado a implantar a Rede Nacional para Simplificação do Registro e da Legalização de Empresas e Negócios (Redesim). A Rede beneficia diretamente os empreendedores do município, no sentido de desburocratizar o processo de instalação e baixa de empresas. Outro importante investimento é a construção do aeroporto executivo, que será implantado com o objetivo de levar para a cidade o fluxo de pequenas aeronaves.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock Detected

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios