Amante de ex-prefeito morto em motel se entrega à polícia, em Goiás

0
150

Ela disse tinha um relacionamento com Geraldo Nicolau, mas negou o crime.

A amante do ex-prefeito de Estrela do Norte Geraldo Nicolau Filho (PSDB), que foi assassinado a tiros em um motel em Mara Rosa, no norte do estado, se entregou à polícia no fim da tarde de quarta-feira (11).  A investigação apura se Anésia Xavier Peres, que é mulher do secretário de saúde da cidade, tem alguma ligação com o crime. Ela aparece nas imagens de uma câmera de segurança que registraram o homicídio.

Segundo a Polícia Civil, em depoimento, ela confirmou que estava com Geraldo no motel e disse que mantinha um relacionamento com a vítima. No entanto, negou que tenha ajudado a planejar o assassinato, que ocorreu no último dia 1º de outubro.

A reportagem tentou contato com o advogado de defesa de Anésia, mas ele não foi localizado.

São suspeitos pelo crime o também ex-prefeito de Estrela do Norte Wellington José de Almeida (PMDB), a esposa dele e um irmão. Eles são parentes do secretário de saúde, que é marido de Anésia. Os três seguem foragidos.

Na época em que o crime foi cometido, Wellington ainda era prefeito do município. A irmã dele entregou à Câmara dos Vereadores da cidade uma carta do político renunciando ao cargo. O até então vice-prefeito da cidade Baltazar Boaventura (PT), que já comandava de forma interina, assumiu a administração definitivamente no último dia 16.

Na carta Almeida disse que, caso volte ao município, corre “risco iminente de morte”. Ele também destacou que a inocência dele “será comprovada perante à Justiça”.

Crime
O homicídio ocorreu em Mara Rosa, que fica a 32 km de Estrela do Norte. Geraldo, de 45 anos, que era conhecido como Curica, estava no motel com Anésia quando foi alvejado a tiros. A vítima geriu o município entre os anos de 2001 e 2008.

A tesoureira do município Renata Rezende foi presa suspeita de colaborar para o crime.Segundo o delegado André Medeiros, responsável pelas investigações, ela foi ao motel antes do crime e avisou à primeira-dama da presença da vítima no local.

“Meia hora antes, ela entrou em um HB 20 no motel, parou no quarto ao lado do da vítima, saiu do carro, verificou a presença do casal e saiu para avisar à primeira-dama”, disse Medeiros.

O investigador explicou ainda que vários fatores relacionam os suspeitos ao crime. Um deles é que os veículos que estavam no local, um Fiat Punto preto e uma caminhonete Chevrolet S10 branca, pertencem, respectivamente, à primeira-dama e ao irmão do político.

“Quando os policiais viram as imagens, fizeram a descrição física do prefeito. Tem também a coincidência dos veículos e o fato de eles terem sumido da cidade”, aponta Medeiros.

Motivação
André Medeiros disse que precisa encontrar os suspeitos para descobrir qual foi a motivação do crime. “Já ouvimos funcionários do motel, membros da família, analisamos as filmagens, fizemos relatórios das imagens, o laudo cadavérico já está pronto e as perícias também. Falta encontrar o ex-prefeito para descobrir a real motivação do crime”, afirmou.

Segundo o delegado, existem algumas hipóteses que são investigadas. “Tem a questão de a vítima ter uma relação com a cunhada do prefeito ou então questão política porque a pessoa que morreu estava se movimentando para ser candidato a prefeito nas próximas eleições”, acredita Medeiros.

Para a empresária Lucivânia Lúcia de Andrade Nicolau, 43 anos, viúva do ex-prefeito morto, a morte ter ocorrido em um motel não significa que ele a traía. Ela crê que o crime tenha ligação política.

“Estou sem esposo, meus filhos estão sem pai, estou em uma luta com o meu sócio para tocar o nosso negócio, e quero que se faça justiça. Isso foi um crime político, não canso de falar isso. Não tinha caso, não tinha nada. Foi crime político”, afirmou.

G1