Agricultores familiares do DF levam à mesa produtos de grife

0
55

agricultoresSer pequeno não significa cultivar apenas matéria-prima. Em um mercado rico como o de Brasília, agricultores familiares têm desenvolvido produtos artesanais refinados que caíram no gosto de restaurantes e dos consumidores exigentes. A variedade de itens é inimaginável. Talvez o cliente não tenha prestado atenção, mas está saboreando uma muçarela de búfala fresca ou um exótico molho de pimenta fabricados a poucos quilômetros de casa. Para se tornar cada dia mais competitiva, a agricultura familiar está aprendendo a se profissionalizar, e essa fase de maturidade traz benefícios a todos.

O produtor ganha mais por vender uma mercadoria com maior valor agregado, o que lhe assegura margem de lucro melhor. O cliente recebe à mesa produtos cada vez mais processados e fáceis de consumir. Para a economia local, os resultados são índices positivos em tempos de desaquecimento de mercado. Embora o setor agropecuário corresponda a 0,3% das riquezas produzidas no DF, é um dos segmentos que mais cresce. Enquanto a atividade econômica total do DF aumentou 3,2% do primeiro trimestre deste ano, o setor agrícola desponta com um aumento de 14,6% no mesmo período. Os dados são da Companhia de Planejamento (Codeplan). O incremento da agroindústria local é um dos responsáveis pelo salto de participação do setor, que, atualmente, reúne 88 unidades.

Passados 3km de uma estrada de chão perpendicular à BR-080, em Brazlândia, chega-se à chácara Danúbio, com 49 hectares. Logo na entrada da propriedade, quem recebe os visitantes são grandes e curiosos búfalos. Faz tempo que não se vê uma vaca naquele pasto. “É um bicho dócil, viu”, diz o dono dos animais, Oswaldo Ferreira de Paula, 66 anos. Incapaz de esconder a satisfação com o que faz, o mineiro de Divinópolis é produtor rural há 44 anos. Os últimos 13 têm sido os mais felizes. Coincidem com a época em que ele trocou os bois por búfalos e começou a produzir derivados de leite do animal no Núcleo Rural Bocanhão, em Brazlândia.

Nesse tempo, a manada passou de 13 para mais de 250 cabeças. Assim como a produção, os rendimentos também cresceram. Das búfalas saem 250 litros de leite, matéria-prima para os 23 produtos diferentes da Bubba Milk, marca da família, que vão desde o leite e o queijo frescal até as iguarias apreciadas em restaurantes mais sofisticados, como a muçarela e a burrata (muçarela fresca e cremosa).

Correiobraziliense