Agave azul também serve para curar e não só para produzir tequila

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Share on email

plantacao-agave-azulA agave azul, uma das plantas mais apreciadas do México, está para ser reverenciado em breve como algo mais que a origem da tequila, o que acontecerá se for comercializada como um efetivo antídoto contra a obesidade.

É a esperança da doutora em ciências biomédicas Laura Márquez, que comanda há dois anos um projeto no estado de Jalisco destinado a demonstrar os benefícios do agave azul para diminuir o sobrepeso, um mal que castiga sete de cada dez mexicanos.

“Estudamos as fibras do agave azul e vimos seus efeitos, primeiro em ratos obesos e depois em pacientes com o mesmo mal; há tempo tínhamos os resultados, mas demoramos a divulgá-los porque estava em trâmite a patente”, disse à Agência Efe a especialista.

Há anos está demonstrada a capacidade das fibras como probiótico (bactérias benéficas que fixam no intestino), mas agora os pesquisadores foram além.

Trata-se de um estudo realizado no território considerado como o maior produtor de agave e tequila, a bebida preferida dos mexicanos.

A tequila é feita ao se processar a planta, mas se trabalha a pinha crua, sendo separados os compostos das fibras, que se aplicaram primeiro em ratos e depois em um grupo de pessoas com excesso de peso em Jalisco.

“Demos dez gramas de Inulina Achicori (proveniente de uma raiz) e se comparou com o fructano de agave. Para evitar a predisposição às vezes aplicamos placebo (substância inerte) e os resultados do agave foram sempre muito positivos”, comentou Laura.

Apesar dos resultados já estarem confirmados, ainda há muito a ser estudado; por exemplo, no trabalho com animais se demonstrou que os fructanos de cadeia curta tinham mais efeito sobre o excesso de gordura, mas em homens foram aplicados de cadeia longa e curta e resta saber o que vai acontecer quando só ingerirem os segundos.

Outro fato é investigar os efeitos nas pessoas que têm diabetes, doença que os especialistas acreditam que pode diminuir com o consumo do agave azul.

Estima-se que 70% da população mexicana sofra de obesidade ou sobrepeso e, como consequência, tem maior risco de ter diabetes e hipertensão, entre outras doenças.

É um fato com que o pó de agave não solucionará os problemas de sobrepeso de boa parte dos mexicanos; se requer uma mudança nos hábitos de alimentação e estilo de vida, mas as novas descobertas ajudarão a que que de uma maneira sincera trabalhem para recuperar sua saúde.

“Vimos que (o agave) inibe a sensação de fome; em nível neuronal recebemos um sinal dos peptídeos que diz que o organismo está saciado e os fructanos estimulam a secreção desses substâncias”, explicou Márquez.

Embora as pesquisas estejam adiantadas, outro assunto a ser resolvido será conseguir uma sobreprodução da pinha porque se esta for usada crua para obter o remédio, já não servirá para fabricar a tequila, um dos pilares da economia de Jalisco.

Outra análise sugere que o agave azul é um excelente auxiliar no tratamento do conhecido como fígado sujo e atuais pesquisas da doutora Mercedes López no estado de San Luis Potosí deixam entrever que a substância ajuda pessoas doentes de osteoporose.

Embora tenha outros usos benéficos para o homem, hoje em dia o agave é apreciado acima de tudo como a planta para fazer as finas tequilas de qualidade mundial.

No entanto, isso é algo que pode mudar em breve se começar a ser comercializada para melhorar a saúde das pessoas obesas.

Terra

Denuncias e Informações? Chat via WhatsApp