Aparecidanet

Inicio das obras para construção do Viaduto da Avenida São Paulo

Avenida São Paulo ganha viaduto na Vila Brasília

Amanha, 22, será iniciada a construção do viaduto do cruzamento da Avenida São Paulo, Avenida Rudá e rua Tapajós no bairro Vila Brasília.  Representantes do poder publico local se reuniram na semana passada para acertar os últimos detalhes para minimizar impactos para motoristas, moradores e comerciantes da região.

O projeto foi aprovado em 2014 na gestão do ex-prefeito Maguito Vilela, o custo inicial aprovado foi de R$ 13,1 milhões que seriam financiados pelo PAC (Programa de Aceleração e Crescimento). O prazo para conclusão da obra é de 180 dias e visa resolver problemas de tráfego que afeta a região principalmente em horário de pico. Na semana passada equipes da Enel (antiga Celg) fizeram a remoção de postes e fiação.

O secretário de Articulação Politica Ricardo Roberto Teixeira (Tatá) disse que neste primeiro processo, sera implantada as vias de acesso ao viaduto, fazendo com que as obras não interrompa por completo o tráfego de veículos.  “A população foi ouvida e tem participado de todo o processo, tanto na etapa das audiências públicas quanto na fase de retirada de totens e de recuo de interferências no passeio público do trecho. Haverá ainda uma última reunião antes do início das obras para que não fique qualquer dúvida para a população” – disse Tatá.

Sobre a Obra

As calçadas da via entre a Avenida Rudá e a 4º Radial terá sua largura diminuída que será necessário para implantação das vias de acesso. Nesta obra apenas a Avenida São Paulo terá intervenção. Após esse processo as outras vias terão seu acesso reduzido parcialmente para o rebaixamento da Avenida São Paulo que passara por baixo do cruzamento entre a Avenida Rudá e Rua Tapajós.

Será extinta duas quadras, uma acima e outra abaixo do cruzamento. O engenheiro Roberto Lemos, responsável por fiscalizar a obra, explica que as arvores que foram retiradas por conta da obra serão substituídas por um novo paisagismo com especies nativas do Cerrado, minimizando o impacto ambiental da obra.